domingo, 11 de agosto de 2019

Seculares


Bibliotecas humanas


Com Seculares, série em atual produção, cineasta Henrique Dantas aborda 
a oralidade de pessoas com mais de 100 anos

Por João Paulo Barreto

Em um país cuja memória se esvai de modo proposital e a tentativa de manipulação visando o esquecimento seletivo de fatos tornou-se uma estratégia explicita para aqueles que dominam o poder de maneira cínica e vergonhosa, colocar em foco a oralidade dos idosos que realmente estiveram presentes na construção da História do Brasil nos últimos cem anos se torna uma maneira de compartilhamento da verdade.

Com a série documental  Seculares – O mundo a mais de cem, contemplada no edital de 2017 do IRDEB, Bahia na Tela, e atualmente em fase de produção e filmagem, o cineasta Henrique Dantas traz entrevistas com pessoas que alcançaram a expressiva marca dos cem anos de vida. Trata-se de um trabalho que encontra relação com uma função importante desse tipo de cinema que é o resgate de memórias, além de uma necessária valorização e respeito pela terceira idade.

Henrique Dantas, responsável por trabalhos como Filhos de João – Admirável Mundo Novo Baiano, documentário sobre os Novos Baianos; Sinais de Cinza, que abordou a história do cineasta Olney São Paulo, vitima das torturas da ditadura militar, e o recente A Noite Escura da Alma, que lançou foco no período ditatorial em solo baiano, dessa vez leva sua lente para uma abordagem intimista da vida de diversos personagens desconhecidos, mas com marcantes histórias de vida e uma oralidade singular no contar dessas trajetórias.

“Trata-se de um mistério esse negócio da memória. Por mais que a gente fale dela, não sabemos como ela se processa. Eu lembro de Luis Buñuel, no seu livro Meu Último Suspiro, que afirmou que você lembra apenas o que quer, tanto as memórias boas quanto as ruins”, explica Henrique ao falar do conceito da série.” A fronteira entre a memória e o esquecimento é um mistério”, complementa.  Na criação dessa proposta original de pesquisa, o diretor salienta a dificuldade de ter acesso à leitura especializada no assunto. “Conversei com um geriatra e uma pesquisadora da UFBA, e ambos trouxeram esse detalhe que não há muitos estudos voltados para pessoas com mais de 80 anos de idade. É como se buscassem apagar da humanidade a velhice”, afirma.

Essa ausência de estudos acabou levando o modo de criação da série Seculares para um caminho de desenvolvimento diferente. Henrique explica: “É o primeiro trabalho que eu faço onde eu não tive leitura uma leitura preparatória. O processo tem sido muito de ‘feeling’, de sentir nas entrevistas qual abordagem deverei seguir com cada pessoa”. Acaba que a percepção do diretor segue um norte no qual cada tema é descoberto no momento em que as conversas são iniciadas. “Já entrevistamos quatorze seculares. Depois do encontro, você tem certeza que encontrou algo muito valioso, um irôko (orixá que representa o tempo na forma de uma árvore), uma árvore do tempo. Essas pessoas são o próprio tempo”, pontua Henrique.

Henrique Dantas: busca por registros centenários de vida   FOTO: Fabricio Ramos
PERSONAGENS MARCANTES 

A série contará com 13 episódios de 26 minutos cada. O planejamento de Henrique Dantas é criar uma rima temática nas entrevistas que vão compor cada episódio. “Há vários temas que insiro nas conversas. Varias personagens são pessoas do interior. Os temas nessas abordagens variam muito. Folclores, como encontros com lobisomens; primeiros contatos com a televisão, com a eletricidade”, explica Dantas. O realizador salienta que muitas entrevistas tiveram esse desenvolvimento acerca do contato com invenções do ser humano. “Com algumas delas, eu perguntei sobre a primeira vez que viram uma aeronave. Eu achava que seria um avião, mas muitas lembraram de quando viram não um avião, mas, sim, um zepelim. E disseram que, à época, as pessoas saíam correndo por achar que era algo alienígena”, afirma entre sorrisos.

Outro detalhe importante está no aspecto da solidão dos idosos. “Uma coisa curiosa nas entrevistas que já fiz foi perceber que, quanto mais humilde é a família da pessoa centenária, maior é o acolhimento dela. Quanto mais rica, de classe média alta, maior é a queixa de solidão na qual é deixado o idoso,” explica Henrique.

BUSCA POR CENTENÁRIOS

Nessa construção, a voz principal que Henrique buscou trazer à tona são as de memórias que foram silenciadas. “Além da memória dos idosos, ainda tem a questão social. Ou seja, a História é sempre contada do ponto de vista de quem ganha. E nessa guerra que a gente viveu, foram os homens brancos europeus saíram vencedores. Chegaram aqui em minoria e conseguiram destruir os índios, destruir os negros, que já trouxeram como escravos e com suas dignidades aniquiladas. Buscaremos usar as memórias dos pretos, dos índios , das mulheres, dos ciganos. As memórias silenciadas. A intenção é que 80% dos entrevistados sejam de pessoas nessas condições,” salienta Henrique Dantas.

O diretor pontua que o projeto ainda está em busca de novas fontes para participar. “Quem conhecer pessoas com mais de 99 anos e dispostas a dar entrevistas, pode entrar em contato pelo número 071 98697 2715. Trata-se de um projeto muito importante nesse resgate. Quando morre um centenário, morre com ele uma biblioteca viva”, finaliza.

*Texto publicado originalmente no Jornal A Tarde, dia 11/08/2019


Um comentário:

  1. Olá Que trabalho milagroso de grande Amiso, eu sou Jose Nuno, minha esposa me deixou porque tenho câncer no corpo, então enviei um email para o Dr.Amiso e explico tudo para ele, ele cura a doença e devolve minha esposa de volta para mim , eu também disse ao meu amigo Olavo que sua esposa está se divorciando em três dias, ele também entrou em contato com o Dr.Amiso, reteve e viu sua esposa ligar para o advogado 2 dias antes do terceiro dia de assinar o documento de divórcio e disse que ela não estava Ao se divorciar do marido novamente, ele deve parar e procurar todos os documentos sobre a questão do divórcio, acredite: agora eles estão vivendo felizes como nunca antes. caso você esteja passando por um problema conjugal, entre em contato com Dr.Amiso pelo herbalisthome01@gmail.com

    ResponderExcluir